sábado, 18 de junho de 2016

Revendo Paradigmas: Caridade

REVENDO PARADIGMAS: CARIDADE

No mundo contemporâneo, torna-se quase um pecado capital não reverenciar a caridade. Dois mil anos de condicionamento fazem com que a grande maioria queira bater com um martelo na cabeça em que ousar questionar ou trazer novos paradigmas, já que a humanidade prefere o sofrimento conhecido do que encarar o desconhecido, mas vamos tentar!
Plutão desenterra nossas sombras e as revela tanto em nossa vida pessoal quanto através de pessoas públicas e acontecimentos coletivos, portanto, não será eficiente lutar contra eventuais injustiças enquanto não tivermos competência de ter um olhar sobre nós mesmos, verificarmos onde está a nossa própria corrupção.
Colocar-se no lugar da vitima é o caminho certo para a derrocada.
Colocar-se no lugar de ajudar a vitima, é ainda pior. Ao nos colocarmos nesse lugar, estamos desrespeitando várias ordens cósmicas, e a primeira delas é o não reconhecimento da força daquele a quem estamos " ajudando". É colocar-se hierarquicamente acima, em uma posição muito confortável.
A consequência é séria: o " ajudado" é colocado em uma posição de fraqueza e inferioridade, impedido de passar por experiências que vão lhe trazer força, transformação e honra e ainda por cima é obrigado a lhe agradecer. Acredite, em algum lugar aquela alma nunca vai lhe perdoar. E a vingança virá através da própria pessoa ou através de seus descendentes.

Um olhar mais profundo sobre esse posicionamento, traz notáveis revelações: ao interferir no processo que cada alma tem necessariamente que passar, estamos nos colocando no lugar de corrigir ações do Universo. É também uma tentativa de enganar a Deus, mostrando o quanto somos bonzinhos, portanto....
Existem ainda muitas outras causas e consequências deste tipo de atitude: uma delas é que é muito mais fácil olhar para o sofrimento alheio do que encarar os nossos próprios. Ora, se nos identificamos com um sofrimento é porque ele existe em nós! Cure-se, e estará curando a humanidade. Não seja covarde, olhe para si mesmo!

ENTÃO NÃO DEVEMOS JAMAIS AJUDAR?

É claro que devemos e/ou podemos, mas para isso algumas leis devem ser observadas:
Uma delas é que o processo de cura só acontece quando a pessoa reconhece que precisa de cura, seja no plano emocional, financeiro, social ou em qualquer dificuldade da vida. É lícito ajudar quando a pessoa vem expressamente solicitar ajuda!
A segunda Lei é que as trocas devem ser equilibradas, portanto uma pessoa que solicita ajuda deve necessariamente fazer ou dar algo que estabeleça uma troca saudável.
E, evidentemente, se alguém cair na sua frente, você vai ajudar a levantar, já que foi a própria Existência que lhe colocou naquela hora naquele lugar.
É o respeito e o entendimento de que existe uma Ordem Cósmica e que ela deve ser honrada!

Um final de semana com muita paz para todos! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário