quarta-feira, 1 de outubro de 2014

CONSTELAÇÕES ASTROLÓGICAS SISTÊMICAS



CONSTELAÇÕES ASTROLÓGICAS SISTÊMICAS
As constelações Familiares segundo Bert Hellinger são amplamente conhecidas e divulgadas tanto no Brasil como no mundo após a comprovada eficácia da técnica no sentido de conciliar e equilibrar o sistema Familiar, a mais significativa raiz dos movimentos da alma. A partir desse trabalho apresentado ao mundo por Bert Hellinger, profissionais de muitas áreas puderam adaptar o trabalho para suas especialidades.
O ganho mais significativo desse trabalho é a descoberta do que hoje chamamos de Campo morfogenético, que nas constelações prefiro chamar de Campo Unificado de Consciência, pois através da penetração nesse campo, desvendamos não só nossas questões genéticas como temos acesso a inúmeras informações s não só do movimento oculto da alma no âmbito familiar, mas a disponibilização das mais variadas informações, pois tudo o que está pertence ao Universo está no Universo. Trata-se apenas de fazer no campo anímico - campo da alma - aquilo que já fazemos no plano da matéria, como a internet, que é um magnifico potencial de informações sem mobilização de energia.
O trabalho com Constelações foi se ampliando e a cada nova descoberta, novos encantamentos foram se descortinando, como a colaboração de animais, cavalos principalmente, que ao serem colocados para constelar, imediatamente assumem suas posições dentro do sistema.
A partir do ano de 2003 um novo encantamento surgiu particularmente dentro do meu trabalho como astróloga e terapeuta: As Constelações Astrológicas!
PROPOSTA
O Mapa astrológico é o retrato do céu no momento do nascimento. Na primeira inspiração, a criança " inspira" o astral do momento, assimilando dessa forma toda uma realidade momentânea sobre " o que é o mundo". Assim, o mapa nada mais é do que uma crença assimilada no momento do nascimento, e essa crença define não só uma personalidade, como determina o nosso próprio destino, pois somos criadores e o criador para criar tem que acreditar em sua criação. Ao acreditar que o mundo é assim, definimos também o nosso destino.
Cada planeta em nosso mapa de nascimento, possui características pessoais, e assim como nós, estão se relacionando entre si. Cada um é uma consciência planetária em evolução e experimentando a vida exatamente como nós. E exatamente como nós, relaciona-se com os outros planetas do sistema. Conforme a sua localização, esse relacionamento entre essas consciências planetárias pode ser conflituosa, harmônica ou neutra.
Os vários planetas de um mapa astral não são mais do que vários indivíduos dentro de nós, que conforme sua posição no mapa estão em harmonia ou conflito uns com os outros, e isso vai refletir em nosso temperamento, nossa vida e relações. Toda briga interna reflete-se la fora.
O trabalho das Constelações Astrológicas é ousado e quântico, pois propõe-se a fazer a pessoa experimentar outras possibilidades mais naturais e sem conflito, através da mudança das posições astrológicas no mapa de nascimento!
Temos aqui a oportunidade de ampliar nossa consciência para outras realidades possíveis, conquistando inclusive o livre arbítrio de mudar nosso destino através dessa expansão.
Quanto maior a consciência, maior a livre arbítrio!
TÉCNICA
Os Símbolos Astrológicos são colocados no chão e o dono do mapa vai escolhendo entre os presentes, aqueles que vão representar cada consciência planetária. Pouco a pouco, coloca-se cada planeta na mandala, segundo sua posição no momento de nascimento. A partir daí os planetas começam a se manifestar e pode-se encontrar facilmente as áreas de harmonia ou conflito, assim como verificar o estado geral da pessoa.
Quando um planeta está mal posicionado em decorrência de sua posição por Signo, Casa ou Aspecto, verifica-se a área da vida do indivíduo que vem impossibilitando o livre desabrochar daquela consciência. Solicita-se então ao participante que escolha um lugar mais adequado onde sente que ficará mais confortável. Estabilizado o sistema, convida-se o dono do mapa a experimentar as duas posições, a primeira, onde ele pode identificar um antigo e bem desconhecido desconforto de toda uma vida e a segunda, onde existe paz e relaxamento. Esse é o momento de deixar a pessoa assimilar, tal como no momento de nascimento,u ma nova crença sobre a felicidade interna.
A principal diferença entre a Constelação Familiar e a Constelação Astrológica é que a Familiar concilia os conflitos do indivíduo com seus relacionamentos externos e a Astrológica o concilia consigo mesmo. Só isso já seria suficiente para equilibrar as relações externas, mas ambas as técnicas associadas uma com a outra, possibilitam uma perfeita integração entre o individuo consigo mesmo e o individuo com e suas relações.
OBJETIVO FINAL
Hoje é do conhecimento geral que vivemos uma realidade ilusória, comumente chamada de Matrix, uma espécie de holografia.
Todos os elementos aqui descritos se constituem uma espécie de " chave de Matrix", uma forma de libertação de um holografia que nos mantém a todos presos dentro de crenças condicionantes e limitadoras. Essas e muitas outras possibilidades, que podem ser chamadas de " Tecnologia Espiritual" se abrem para todos aqueles que ambicionam a verdadeira riqueza: A Liberdade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário